Ciências naturais

A ciência e a tecnologia oferecem soluções para muitos problemas no mundo. Com os produtos para ciências da vida e indústrias desenvolvidos na nossa Divisão de Soluções Científicas, contribuímos para isso. Além disso, na Olympus acreditamos no poder da inovação e queremos promover ideias inteligentes. Por este motivo, o nosso objetivo é promover o desenvolvimento de jovens talentos e cientistas a fim de alargar os limites do conhecimento. Fazemo-lo apoiando a educação em áreas de STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática), bem como bolsas de estudo para cientistas.

Desde Olympus Europa realizamos as seguintes iniciativas que detalhamos a seguir.

  • Partilhar:
Social Responsibility - Natural Sciences

Em termos de investigação: pele de rã em vista ampliada, exibida com o microscópio Olympus FV3000.

Incentivar o talento e promover inovações

Imergir-se totalmente numa cultura estrangeira, interagir com os pares e estabelecer amizades internacionais é uma experiência especial e, em muitos casos, formativa para os alunos de intercâmbio. Os horizontes são alargados, novas perspetivas são descobertas e é também extremamente divertido.

De forma a iniciar um contacto entre as escolas japonesas e alemãs e obter informações sobre a posição do Japão no campo da educação em áreas STEM, o Centro Japonês-Alemão de Berlim (JDZB – Japanisch-Deutsches Zentrum Berlin), estabeleceu o Programa Juvenil de Ciências para o intercâmbio de alunos alemães-japoneses. O programa destina-se às escolas de ensino secundário na Alemanha com aulas em japonês e todas as escolas com educação em áreas STEM – aquelas com um foco altamente desenvolvido nas ciências naturais. Os projetos sobre temas científicos ou técnicos devem ser planeados e desenvolvidos mais aprofundadamente com uma escola parceira no Japão orientada em conformidade.

A Olympus presta apoio financeiro ao programa e pretende, deste modo, não só apoiar o intercâmbio intercultural, mas também os projetos científico-técnicos desenvolvidos pelos estudantes do ensino secundário, como vividos no dia a dia por alguns colegas. O programa inclui também uma visita à respetiva sede da empresa, em Hamburgo e em Tóquio.

Saiba mais sobre o JDZB

A Olympus Europa Foundation, juntamente com a Sociedade Alemã para as Doenças Digestivas e Metabólicas (DGVS), atribui anualmente o Prémio de Investigação Endoscópica na área da endoscopia. Este prémio distingue progressos nos campos da investigação clínica e fundamental. Para além de distinguir os progressos de projetos excecionais, o prémio também pretende aumentar o interesse na endoscopia gastrenterológica para a próxima geração de profissionais de saúde.

O vencedor de 2017

O Dr. Peter Klare da Universidade Técnica de Munique venceu o Prémio de Investigação na Área da Endoscopia de 2017. Recebeu o Prémio e 15 000 euros para apoiar a sua investigação sobre capnografia, uma técnica especial que é utilizada para monitorizar o estado da anestesia do paciente durante uma endoscopia.

Em comparação com o método convencional utilizado na oximetria de pulso, que monitoriza a saturação de oxigénio no sangue do paciente, a capnografia mede a quantidade de CO2 no ar expirado. Klare descobriu que as interrupções ou pausas na respiração durante uma endoscopia podem ser detetadas de forma mais rápida e fácil através da capnografia do que com oximetria de pulso.

A capnografia é a norma na anestesia geral há já muito tempo, mas não em endoscopias. "As nossas descobertas mostram que vale a pena considerar tornar a monitorização capnográfica um método padrão no futuro, mesmo em endoscopias sob sedação", explica Klare, resumindo por que motivo o seu trabalho foi um sucesso. Explicou também que o prémio o incentivaria a continuar a investigação na área da endoscopia clínica.

O vencedor de 2016

...foi o Dr. Eugen Zizer do Centro de Medicina Interna na Clínica Universitária de Ulm, na Alemanha. Zizer convenceu o júri, composto por gastrenterologistas de renome, com o seu trabalho sobre a implementação de um dito sistema de sobretubo para utilização durante dissecações endoscópicas da submucosa (ESD), utilizando um processo de impressão 3D. A sua conclusão: o sistema de sobretubo parece facilitar e acelerar significativamente a técnica de ESD.

As nossas prioridades temáticas restantes